Bonito com filhos – Nossas dicas

Bonito foi um dos nossos destinos de viagem em 2016.
A região é muito bela e peculiar, oferecendo ao turista muitos passeios em contato com a natureza da região do centro-oeste. É considerado polo de ecoturismo em nível mundial. Flutuação, rapel, cachoeiras, estâncias, balneários, grutas, lagoas… Há muito o que se fazer.
As águas das nascentes e rios são de fato cristalinas, em virtude da alta concentração de minerais, especialmente calcário. Em razão disso, mesmo fora da água, é possível ver peixes de várias espécies nadando em verdadeiros aquários ao ar livre.

Balneário Municipal

A flora também é muito rica, bem como a variedade de pássaros (araras, mutuns, siriemas) e animais, dentre eles, jacarés, macacos, tamanduá-bandeira, tatu.

Dicas básicas
Um dos primeiros fatores a se considerar em uma ida a essa região do Brasil é verificar o índice pluviométrico de cada mês. A quantidade de chuvas pode interferir bastante nos passeios a serem realizados, diminuindo a visibilidade da água.

No nosso caso, viajamos em novembro, período no qual há chuva considerável. Ainda assim, pudemos fazer uma flutuação, já que ela acontecia na região da nascente do rio, cuja transparência não fica comprometida em razão das precipitações.

Flutuação no Aquário Natural

Dessa forma, estando em dias chuvosos, verifique se essa circunstância irá comprometer a visibilidade do passeio pretendido.
A outra consideração diz respeito a ir a Bonito com filhos pequenos. Embora seja um lugar de contato maravilhoso com a natureza, pude verificar que muitas atrações não são possíveis de serem realizadas por crianças muito novas. Os passeios de flutuação, por exemplo, são indicados para crianças com mais de 5 anos. Assim, se a sua intenção é ir com filhos e fazer os passeios nas águas com eles, verifique antes em consultas às agências de turismo locais qual indicação etária da atração e selecione as que mais atenderão às suas necessidades.

Também se deve levar em conta que os passeios são distantes do centro de Bonito. Há várias atrações que ficam nos arredores. Assim, deve-se considerar se a locação de um veículo irá atender melhor do que contratar transfer para cada passeio. No nosso caso, já saímos de Campo Grande com carro alugado e usamos todos os dias em Bonito.
Outro aspecto relevante é que cada passeio tem um custo, alguns incluem refeição, transporte, outros somente a atração em si (flutuação, rapel etc). Dessa forma, a soma dos valores gastos nas atrações tem que ser bem pensada, para não pesar no orçamento.

Para ir a Bonito e onde ficar

Nossa opção para ir a Bonito foi voar até Campo Grande e de lá seguir de carro alugado até o destino final. São aproximadamente 300 Km de distância, em estrada com bom asfalto e sinalização.

Piraputangas em destaque na praça de Bonito

Sobre hospedagem, ficamos na Pousada Boyrá. Ela fica afastada do centro, com acesso por estrada de terra. Há piscina e acesso ao rio Formoso, com deck para observação dos peixes, ponto para banho e até tirolesa. O atendimento do staff foi muito atencioso. Nossa diária incluía café da manhã e jantar, e tudo foi bem servido.

Pousada Boyrá

Geralmente quando estamos com nossos filhos gostamos da opção de hospedagem que oferece uma das refeições, além do café da manhã, o que facilita a organização do dia e nos dá mais conforto e descanso.
Mesmo assim, tivemos a oportunidade de jantar no famoso restaurante “Casa do João” e gostamos bastante dos pratos. Experimentamos o peixe símbolo da região, a Piraputanga. O restaurante conta ainda com uma lojinha que vende souvenires e também um pequeno acervo de objetos antigos. A casa é bastante procurada, então, convém chegar cedo ou fazer reserva.

O Mato Grosso do Sul é um estado muito bonito e temos o privilégio de ter familiares morando lá. Assim, este foi o primeiro de muitos passeios que pretendemos fazer na região. O Brasil tem muito para ser explorado e podemos buscar fazer coisas novas sempre.

Curtiu? Conta pra gente!