Dedo no Mapa – Parque Histórico de Carambeí

Nossa viagem ao Paraná tinha como alvo não somente Curitiba, mas cidades próximas que proporcionassem ricas experiências para nossa família.

Assim, além de conhecer a Colônia Witmarsum, dedicamos parte da viagem para nos hospedar em Carambeí e visitar seu parque histórico.

Quando fomos ao Canadá tivemos o privilégio de passar um dia no Heritage Park, perto de Calgary, na província de Alberta, onde experimentamos visitar um imenso museu a céu aberto, recriando uma vila, que retrata quase um século da história canadense, desde os anos de 1860.

Ao verificar que no Paraná se encontra um dos maiores museus históricos ao ar livre do Brasil, ficamos muito interessados em conhecê-lo.

Como Carambeí fica há aproximadamente 140km de Curitiba e nossos filhos são pequenos, achamos melhor pernoitar por lá, e no dia seguinte seguir direto para o aeroporto em São José dos Pinhais.

Pretendíamos sair de Curitiba cedo, porém tivemos um contratempo e foi necessário levar nosso filho mais novo a um hospital. Graças a Deus foi só por precaução, mas ficou a lição quando se tem crianças em viagem e é preciso procurar assistência médica.

Já fiz post explicando alguns dos cuidados que procuramos adotar quando vamos viajar com nossos filhos.

Quem possui plano de saúde deve se certificar qual a amplitude de atendimento para emergências (estadual ou nacional) e, sempre que for programar uma viagem, verificar se está levando o cartão do plano, com validade em dia, RG ou certidão de nascimento da criança, além do cartão de vacinação. Para as viagens ao exterior deve-se verificar se o cartão de crédito, pacote ou outro serviço de aquisição das passagens ou pacote contém a opção de seguro viagem. Se não tiver, é importante providenciar um e assim evitar gastos astronômicos e dor de cabeça em uma emergência fora do Brasil.

Pedindo dicas a pessoas da cidade, conseguimos encontrar uma clínica pediátrica, com atendimento de emergência, e em pouco tempo fomos atendidos e as dúvidas sanadas.

Como já passava da hora do almoço e ainda estávamos em Curitiba, procuramos um local para comer e o Tripadvisor nos ajudou a encontrar o Família Farinha. Lá, além de se poder tomar café da manhã, há opções de pratos para almoço, açaí, itens de padaria para comprar, e um atendimento ótimo. Grande achado após o pequeno perrengue bem resolvido.

Abastecidos, seguimos pela BR 376 rumo a Carambeí. Chegamos no parque às 16 horas, e ainda assim foi possível visitá-lo com calma.

Nossos filhos percorreram o local com interesse, entusiasmados com o retrato histórico feito da cidade de Carambeí.

O parque possui mais de 100 mil m² e se trata de um projeto de caráter sociocultural com o compromisso de preservar a memória dos imigrantes holandeses que se estabeleceram em Carambeí, difundindo a cultura por meio de seu patrimônio material e imaterial (https://www.aphc.com.br/).

Foram construídas edificações nos moldes da época da imigração, início do século XX, fazendo referência ao estilo de vida dos colonos. Percorrendo-se a vila é possível visitar uma típica residência, a estação de trem, igreja, escola e outras edificações. Ao final, pode-se degustar deliciosas comidas holandesas no Koffiehuis, que também oferece almoço típico nos finais de semana e feriados.

Mesmo com filhos temos podido experimentar comidas regionais, que tanto amamos fazer quando estamos conhecendo um novo lugar. Dentro do parque há também um café, com menor oferta de produtos, mas que tem tudo que se precisa se a fome ou vontade apertarem antes de sair.

Após essa bela visita, fomos fazer check in no Hotel De Klomp.

Quando estava montando o roteiro, fiquei em dúvida se dormiríamos em Ponta Grossa, que é maior e fica no caminho de volta para Curitiba, ou na própria Carambeí.

Não poderia ter feito escolha melhor. Sabe aquele hotel acolhedor, localizado em uma cidade que parece um sonho?

Às vezes a gente chega em um lugar e pensa: puxa, eu ficaria aqui muito mais tempo, como gostei dessa cidade. E foi assim que me senti em Carambeí.

A cidadezinha é muito graciosa, e o atendimento no hotel nos fez sentir em casa, super recomendamos.

Temos encontrado alguns desafios na montagem de roteiros no quesito hospedagem.

Há muitos problemas com limpeza (acúmulo de poeira, limpeza malfeita), além da dificuldade de se encontrar hotéis com quarto família (para que tem mais de um filho) e opções de refeição que sejam boas e não caras.

No Hotel De Klomp, ao contrário, tivemos uma ótima experiência, passando uma ótima noite com nossos filhos .

No dia seguinte, após delicioso café, arrumamos as malas e partimos para o aeroporto, relembrando os bons momentos que passamos nesses dias no Paraná e já pensando no próximo destino.

Curtiu? Conta pra gente!