Nossa Nova York – o que fazer (como fazer)

 

No roteiro de NY a palavra chave é PRIORIDADE. Há tantas possibilidades que, mesmo com tempo, algo acabará ficando fora da lista.

Antes de falar sobre as atrações que sugerimos, quero dar a dica que me ajudou a escolhê-las.

 

Como adquirir os ingressos para as atrações em NY

Os ingressos das atrações pagas podem ser adquiridos pela internet, por valores melhores.

Assim, além de economia, evita-se perda de tempo nas filas do local, ou mesmo que a lotação esteja esgotada.

Existem 3 passes para se adquirir os ingressos em combos: NYC CityPass, The NewYork Pass e New York Explorer Pass.

Eis a diferença entre os três:

1 – NYC City Pass: passe com valor fechado que dá direito de visitar seis atrações preestabelecidas (www.citypass.com/NewYorkCity‎). Esse passe atualmente conta com a versão C3, na qual se escolhe apenas 3 atrações para serem visitadas.

2 – The New York Pass: permite acesso a mais de 90 atrações, pelo período de 3, 5, 7 e 10 dias. Conforme o número de dias para visitar as atrações, maior será o valor do passe (https://www.newyorkpass.com/En/prices/).

3 – New York Explorer Pass: permite montar o próprio passe, escolhendo dentre 50 opções de atrações, cujas visitas serão realizadas em até 30 dias a contar do primeiro local visitado (https://www.smartdestinations.com/new-york-at,tractions-and-tours/_ptd_Nyc-p1.html).

A minha sugestão para se escolher o passe é estabelecer quais atrações se quer conhecer.

Não adianta comprar o que dá direito ao maior número de lugares para ir e não ter tempo para usá-lo. Pode gerar, ao contrário, a sensação de stress, ansiedade e correria – coisas que definitivamente não precisamos em uma viagem.

Quando fui a Nova York, o CityPass não tinha a opção C3. Se tivesse, eu a teria considerado.

No nosso caso, escolhemos New York Explorer Pass, para montar nosso próprio roteiro.

Primeiro, porque havia atrações no City Pass que não nos interessavam. Em segundo lugar, porque também havia muitas coisas para fazer na cidade que eram gratuitas. Em terceiro, por ter verificado que tanto o MET quanto o Museu de História Natural são museus de suggested admission, ou seja, o valor da entrada é sugerido, e não obrigatório (http://www.metmuseum.org/visit/met-fifth-avenue e https://ticketing.amnh.org/#/tickets).

Assim, quando se compra um passe que inclui a entrada nestes museus, paga-se na verdade o valor máximo cobrado, sendo que, comprando no próprio museu, pode-se pagar preço inferior ao sugerido. Dessa forma, a economia da compra do passe não será interessante.

Então, preparada a lista do que fazer, escolha o passe que mais se enquadra em suas prioridades e assim garantirá sua entrada, com economia de tempo e dinheiro.

No próximo post, relatarei o que mais gostamos de fazer em NY.

Entrada do Museu de História Natural

Curtiu? Conta pra gente!