Museu Paranaense – Curitiba – PR

Esta semana começa a blogagem coletiva da RBBV, com o tema #MuseumWeek 2017, e para nós, que recentemente fomos integrados à rede de blogueiros, é um prazer participar pela primeira vez.

No final deste post se encontra a lista de todos os blogs participantes, cada um com um belo relato sobre o tema.

Museu Paranaense – Curitiba/PR

Museu… esta palavra ao longo da história da humanidade teve bastantes conceitos culturalmente variados. Da mesma forma, signos, símbolos, apropriações, representações, memórias coletivas e individuais, significantes, significados, identidades, que são ferramentas de compreensão museológica, passaram por transformações culturais.
Independentemente de como foi utilizado ao longo da história, na minha opinião, suas apropriações habilitaram o universo museológico a coabitar nas diversas comunidades com característica mais contemporânea, retirando-lhe estigmas conceituais de ser santuário, ou mesmo um depositário de coisas inservíveis. Ao contrário, tornou-se um espaço de trocas, reflexão, didática, enfim, um lugar dinâmico e vivo, sempre pronto a oferecer algo além!

Ler mais

Dedo no Mapa – Parque Histórico de Carambeí

Nossa viagem ao Paraná tinha como alvo não somente Curitiba, mas cidades próximas que proporcionassem ricas experiências para nossa família.

Assim, além de conhecer a Colônia Witmarsum, dedicamos parte da viagem para nos hospedar em Carambeí e visitar seu parque histórico.

Ler mais

Dedo no Mapa – Colônia Witmarsum

Quando li o relato da Sílvia Oliveira (matraqueando.com.br) sobre a Colônia Witmarsum, fiquei muito curiosa para conhecer esse lugar tão perto da capital paranaense, mas permeado pela cultura e costumes dos alemães menonitas que ocuparam a região na década de 50.

Assim, decidimos alugar um carro e ir até a Colônia Witmarsum, situada no município de Palmeira, há aproximadamente 60 km de Curitiba. É perfeita para um bate e volta.

Ler mais

O que fazer na Ilha do Marajó

img_20160805_093507043

Escolher o que fazer em um passeio determina muito o que se pode extrair dele.

Planejamos nosso roteiro com antecedência, pesquisando muito pela internet.

Para começar a pensar no que fazer na Ilha do Marajó, deve-se ter em conta que Soure e Salvaterra são apenas duas das doze cidades que ali se localizam.

Na verdade, a maior cidade da ilha é Breves, com cerca de cem mil habitantes.

No nosso roteiro, optamos por nos hospedar em Soure.Ficamos lá dois dias, os quais nos informamos serem suficientes para se conhecer o básico da região. Com tempo, vontade de desbravar e querendo descansar no local, três dias podem ser uma melhor pedida.

Ler mais